The Spheres novo projeto da Amazon

The Spheres é uma das novas apostas da Amazon, consistindo em um conjunto de esferas de vidro, repleta de jardins, chamada de “Floresta na Nuvem” para sua nova sede em Seattle, Estados Unidos; o projeto forneceu espaços de trabalho para os funcionários e um espaço verde para o público.

The Spheres ou as esferas, são compostas por três cúpulas conectadas; ao centro de ambas ficam localizados o escritório da Amazon na Downtown Seattle.

(Imagem extraída de www.seattlespheres.com)

O projeto foi iniciado em 2013, mais só em janeiro de 2018 que Jeff Bezos, fundados e CEO da Amazon, inaugurou a obra recém finalizado.

A estrutura ficou a corda da NBBJ, uma empresa americana no ramo de arquitetura “Este design particular foi escolhido devido à sua ocorrência natural na natureza e como um aceno para conservatórios históricos, como Kew Gardens [no sudoeste de Londres]”, Secundo comentário no blog da Amazon.

(Imagem extraída de www.seattlespheres.com)

As três cúpulas de vidro são formadas a partir de 30 toneladas de aço, sustentadas com concreto grosso. Ambas as unidades compartilham uma área interna de plano aberto, rodeada por inúmeras plantas ao redor de todo o espaço.

A maior das esferas chegam a medir aproximadamente 27 metros de altura com 39 metros de diâmetro. Toda a estrutura fica envolta de 2.64 painéis de vidro transparente, fornecendo uma aparente curvatura ao ambiente.

(Imagem extraída de www.seattlespheres.com)

Essas formas mais geométricas da fachada, ficam em um derivado de uma forma encontrada na natureza, chamada de sólido catalão. Em baixo existe uma camada de filme que auxilia a limitar o nível de radiação infravermelha que adentra o ambiente, mantendo todo o interior mais fresco.

Foram colocadas mais de 40.000 plantas de todas as partes do mundo, para preencherem o prédio, fornecendo áreas de trabalho e locais de encontra aos funcionários. Em especial, muitas destas plantas são de ecossistemas caracterizados por condições úmidas e frias.

(Imagem extraída de www.seattlespheres.com)

“As esferas operam em um ciclo diurno – a temperatura diurna no interior será de média 72 graus com umidade em torno de 60 por cento, e a temperatura noturna será de 55 graus com umidade em torno de 85 por cento”, disse uma declaração da Amazon.

(Imagem extraída de www.seattlespheres.com)

A própria Amazon descreveu o projeto como “um link direto para a natureza” para funcionários, que tem a disponibilidade de usarem a sala de reuniões chamada de “treehouse”, com layout guiado por pavimentos em madeira, escadas flutuantes, terraços e recursos de água, que inclui uma parede de quatro andares coberta de organismos vivos.

“Estudos sugerem que os espaços que abraçam o design biofílico podem inspirar criatividade e até mesmo melhorar a função cerebral”, afirmou o blogpost da Amazon.

Lembrando que esse não é o primeiro projeto em forma de cúpula de plantas, já existem outros, como por exemplo: a sede italiana da fabricante de moveis da Cassina; os espaços de colaboração da Sella Concept em Londres dentre poucos outros.

(Imagem extraída de www.seattlespheres.com)

The Spheres  está com as portas abertas para o público ao longo de todo o ano; os visitantes tem a disponibilidade de acessar o espaço/jardim chamado de Undestory que funciona como um centro para visitantes.

(Imagem extraída de www.seattlespheres.com)

“Nosso objetivo com a The Spheres foi criar um local de encontro único onde os funcionários poderiam colaborar e inovar juntos, e onde a comunidade de Seattle poderia se reunir para experimentar a biodiversidade no centro da cidade”, informou  John Schoettler, vice-presidente da Amazon.

Ao todo a Amazon já investiu cerca de US $ 38 bilhões só em Seattle, entre os anos de 2010 há 2016.

 

Compartilhe em suas redes sociais: