Arquitetura Renascentista 

O Toque do Renascimento

Nessa publicação iremos relatar um pouco sobre a arquitetura Renascentista, que foi desenvolvida entre os séculos XIV na Itália e logo se espalhou pela Europa até meados do século XVI. Um novo estilo afastado da arquitetura Gótica na era medieval, que no movimento em si, buscava compreender a humanidade como um todo.

Muitos monumentos hoje conhecidos da história da arte foram erguidos nesta época de tumulto e agitações artísticas e culturais, ressaltando sobre tudo obras como igrejas, Catedrais, palácios e mosteiros.

Esse período arquitetônico  baseia-se na arquitetura clássica; pegando alguns elementos da arquitetura Gótica, mais sem tentar copiá-la e sim criar algo único.  A inovação neste período não foi só cultural e sim científica levando a edificações com a matemática da distribuição espacial.

A perfeição era a busca dos arquitetos da época tudo em uma conta exata; em círculos e linhas retinhas e precisas. Baseada sempre na geometria Euclidiana da era clássica.

Entre os arquitetos da época sem dúvidas Brunelleschi é o nome mais conhecido, o grande responsável pela  Catedral de Florença e a Capela Pazzi.

th

(Imagem extraída de viagemeturismo.abril.com.br)

A principal característica da arquitetura Renascentista é a escala humana; onde todas as medidas e ângulos são correlacionados em relação ao homem.

Michelangelo é mais conhecido por suas obras barrocas mais nem por isso deixou de participar do movimento. Suas esculturas humanas tinha perfeição e excelência. Podemos destacar a Basílica de São Lourenço e a biblioteca Laurenciana.

Temos também Rafael Sanzio com a Basílica de São Pedro em Roma:

th (1) (1)

(Imagem extraída de www.tudosobreroma.com)

Leon Battista que autou na reforma da Basílica de Santo Estêvão Redondo em em Roma.

Andrea Palladio com o edifício Villa Capra em Vicenza:

th (1)

(Imagem extraída de http://historiaearquitetura.blogspot.com.br)

Giulio Romana noa Palácio do Té:

palacio-de-te-mantova-5227763

(Imagem extraída de www.sabercultural.com)

Compartilhe em suas redes sociais: